Make your own free website on Tripod.com
 

Histórias Pessoais


  Nome = Tiago
  NickName = Tiaguinho
  Idade = 19
  Cidade = Poa
  Estado = RS
  Pais = Brasil
  E-mail = nenenzinho@iname.com

Meu nome é Tiago, eu sou magro, alto, cabelos e olhos castanhos, 18 anos, se voce quiser mais detalhes me mande um e-mail por favor. Eu tenho essa paixão por usar fraldas já fazem mais ou menos 12 anos, eis como isso começou... Eu larguei as fraldinhas muito cedo, cerca de 1 ano de idade, e eu acho que isso foi uma mudança muito radical na minha vida. Bom, em 85, miha irmã que é 2 anos mais nova do que eu, começou a ter problemas de molhar a cama à noite, e depois de ela acordar umas 3 noites seguidas com a cama molhada os meus pais resolveram forrar o colchão, e como ela continuou molhando a cama, eles resolveram comprar uma calça plástica pra ela, mas eu não me lembro se ela usava fralda de pano ou descartável por baixo dela. Algumas semanas depois ela parou de se molhar e tudo voltou ao normal. Essa experiência também me marcou bastante. Algum tempo depois, minha irmã ganhou uma fralda descartável pra ela usar em uma de suas bonecas, aquelas grandes que parecem um bebê, mas eu fui quem mais usei aquela fralda ! Porque quando eu a vi pela primeira vez, eu tive uma vontade irresistível de usa-la, e foi o que eu fiz na primeira noite, e nas outras também. A fralda era do tipo sem fitas e sem abas, era tipo essas Bigfral comum (a que não é Plus), e agora eu não sei se era um fraldão desse tipo ou se as fraldas de bebês daquela época eram assim mesmo. Porém, poucos dias depois minha mãe botou a fralda no lixo, e de noite a fralda já não estava mais lá, no lixo. Depois disso, eu "peguei emprestado" umas fraldas de pano e uma calça plástica e escondi numa pequena casa que tinha nos fundos da minha, era o nosso "quartinho dos fundos", e lá eu ficava com minhas fraldas por um bom tempo. Um dia eu coloquei as fraldas, me enfiei dentro de um saco plástico e coloquei várias almofadas dentro e fiquei lá até que uma hora a empregada rindo da minha cara me acordou ! Aquilo foi muito humilhante, sorte que ninguém viu que eu estava de fraldas também ! Uns dois ou três anos depois, em 87 eu acho, nós todos fomos jantar na casa de uns amigos, e o filho deles era pequeno ainda, cerca de 1 ano e meio, e eu já fiquei alerta que poderia ter fraldas na casa deles. Eu entrei no quarto do casal, e procurei na sacola de bebês deles mas não tinha nada. Decepcionado eu voltei pra cozinha e continuei brincando até que eu achei no meio dos brinquedos uma calça de latex ! Cara, pegar aquilo não foi fácil, eu escondi na minha perna,por baixo da calça, torcendo pra que ninguém percebesse, mas deu tudo certo, apesar daquela calça ser muito pequena, mas com um certo esforço ela entrou e foi muito legal usar aquilo. Eu espero um dia encontrar uma dessas para o meu tamanho atual... Em 89 ou 90, meu primo veio passar umas semanas na minha casa, e um dia eu sugeri que nós brincasse-mos de ser bebês ! Aí nos colocamos os nossos lençóis como fraldas por cima da roupa é claro. Eu tenho vontade de perguntar pra eles se eles gostam de fraldas ou se era apenas brincadeira, mas acho que eu vou ter que viver com esse segredo. Em 1993 eu comprei um pacote de fraldas descartáveis, tamanho XG, mas infelizmente eu descobri que elas não eram feitas para nenens do meu tamanho. No mesmo ano, eu fui na Ortopedia Wiesbauer aqui de PAlegre, eu sabia que eles tinham fraldas para adultos porque seguidamente eu via as propagandas deles no jornal. uma delas mostrava aqueles desenhos que mostram como usar a fralda, e eu não pude acreditar que algo assim aparecia no jornal. Bom, entrando lá eu olhei bem pra ver se não tinha ninguém conhecido e depois cheguei no balcão. Eu mal podia falar ! Acho que eu não estava vermelho, tava roxo mesmo ! O cara pegou o pacote, fez aquele movimento irritante de virar o pacote jogando ele levemente para cima e virando no ar para ver o preço que todos os vendedores e balconistas que me vendem fraldas fazem, e depois eu peguei uma lotação e me mandei pra casa antes que minha mãe chegasse. Valeu a pena, pois aquelas fraldas eram ótimas, bem grossas, elas quase não vazavam, eram fabricadas na Italia eu acho. Quando elas acabaram, eu comprei um pacote de Bigfral, eu quase me mordi de raiva quando vi que elas não eram auto fixáveis, era necessário uma calça plástica que eu não possuia. Naquela época não tinha o modelo Plus. Depois, em 94 eu comprei outros modelos para crianças e usava duas fraldas ao mesmo tempo. No final de 96 eu comprei o meu primeiro computador, e é claro Internet também. Uns meses depois eu resolvi tentar fralda no yahoo, daí eu peguei um dic português/inglês e vi que fralda=diaper. Eu sinceramente esperava encontrar fabricantes de fraldas extrangeiros, mas para minha surpresa tinha um link do DPF, e falava algo como adult baby, eu fiquei olhando e pensei: não, não pode ser ! Mas era. Lendo a página que diz "You are not alone" eu fiquei muito feliz, pois não estava sozinho ! Eu não tinha uma doença ! Eu acho que essa foi a melhor experiência que eu já tive. Até que em 96 eu acho, foram lançadas as BF Plus e aí a coisa começou a melhorar, eu pude até fazer caca em minhas fraldas pela primeira vez. Em 98 eu encontrei os primeiros "adult babys" brazileiros, cuja página voce deve estar olhando agora mesmo. Essa experiência foi sensacional também, pois aproximou mais a relação Infantilista para um nível nacional. Agora recentemente (98) eu descobri a fralda Plenitud, que é a melhor, pois ela vaza bem menos do que a BF Plus e tem um desenho mais estilo fralda de bebê. Apesar que a BF ainda fez umas melhorias que a colocaram na frente do mercado na minha opinião. Espero um dia conseguir uma Molicare... Eu não quero entrar em detalhes, mas no total eu acho que já me pegaram com fraldas ou as próprias fraldas em seus respectivos esconderijos umas 12 à 13 vezes. Apesar de que eu nunca estava só de fraldas, sempre estava com algo por cima. Esta é a minha recente história. Por favor mande-me um e-mail ou me adicione em sua lista do ICQ.

------------------------------------------------------------------------------------

  Nome = Mário
  NickName = Allanzinho
  Idade =
  Cidade = Sumaré
  Estado = SP
  Pais = Brasil
  E-mail = mti@operamail.com

Sempre tive enorme vontade de ser novamente uma criança. E apesar de antes nem ao menos saber do que se tratava, sempre bricava com meus colegas ( isso com cinco anos ) de cair em um fentiço em voutar a ser bebê. Todas as minhas bricadeiras giravam em torno disso. Aos meus 12 anos usava as fraldas de minha irmã escondido e dalí não só as fraldas mas também tudo o que um bebê usa. Depois que comecei a trabalhar passei a comprar fraldas para adulto, fita para fralda, chupeta. Gostaria de ter tudo que um bebe tem, mas se ter minha família descobre, e além disso divido o quarto com meu irmão. Ah, já usei e uso também toalhas e lençoes com fraldas e entendo de marca de fraldas com ninguem. Pretendo no futuro me revelar, mas só para minha futura esposa, onde serei sua eterna criança.

------------------------------------------------------------------------------------

  Nome = COWBABY
  NickName = COWBABY
  Idade = 18
  Cidade = São Jose do Rio Preto
  Estado = SP
  Pais = Brasil
  E-mail = dicarvalho@riopreto.com.br

Bom, vamos agora matar a sua curiosidade de saber sobre como eu comecei a gostar de fralda. Primeiramente sou já um adolescente com 17 anos. Comecei a gostar disso, quando eu era menor, com 7 anos. Eu com essa idade comecei a fazer xixi na cama e pra mim atormentava muito fazer e ver toda manha a minha cama toda molhada. Então até que os meus pais resolveram comprar um pacote de fralda para eu pelo menos ñ molhar mas a minha cama. Usei fraldas até aos 12 anos e acho que foi esse tempo todo que comecei a gostar e a querer usar mais. Quando ainda estava com 8 anos, pensava que esse negocio de gostar de usar fralda fosse alguma doença, alguma coisa que passace logo, mas logico isso ñ era verdade e continuo a gostar até hoje. Mas somente agora aos 17 anos, fiquei sabendo que tinha gente que tambem tinha o meus "problema"que eu.
------------------------------------------------------------------------------------

  Nome = Rodrigo
  NickName = Guigo
  Idade = 17
  Cidade = São Paulo
  Estado = SP
  Pais = Brasil
  E-mail = guigosoweto@zipmail.com.br

Bem, vou lhes contar um pouco da minha história e de como me tornei um "infantilista" e começei a usar fralda. Bem, me lembro de quando eu tinha mais ou menos uns 6, 7 anos de idade minha mãe sempre ia me dar banho e eu sempre fui um pouco mimado, e ela me colocava na cama me falava: "Agora vou te trocar", então eu não sei porque motivo eu na minha cabeça pensava que ela ia me colocar fralda. Um pouco mais tarde, ou seja, até mais ou menos se não me falhe a memória eu usava fralda para dormir algumas noites até uns 9, 10 anos. Depois disso me lembro que com uns 13 anos fui na casa de uma vizinha e a filha dela era novinha, então eu planejei tudo, entrei no quarto dela e peguei uma fralda do pacote e escondi na cintura, e de noite eu usei a fralda. Me lembro também que quando eu tinha mais ou menos uns 14 anos eu juntei um dinheiro e antes de ir na escola eu fui a uma farmacia e comprei uma calça plastica, coloquei na mochila, mas quando chegou a noite e eu fui c! olocar a fralda percebi que ela era muito pequena e não fechava direito, fiquei muito doido da vida. Me lebro que sempre quando ia tomar banho pegava a toalha e fazia de fralda, dobrando ela e colocando no meio das pernas. Depois isso começou a ficar sem graça e com mais ou menos uns 15. 16 anos eu comprei uma calça plastica pra adultos, aquilo para mim era o céu ! Mas eu vim mesmo usar minha primeira fralda descartável quando tinha completado 17 anos. Planejei tudinho e uma vez que minha mãe e todo mundo de casa tinha ido viajar eu comprei um pacote de Fralda descartavel pra adulto. Nunca me esqueço daquele dia que cheguei em casa peguei o pacote e vi a fralda pela primeira vez. Eu parecia um bebê mesmo. Usei o pacote inteiro, fiz xixi e coco na fralda e me senti nas nuvens. Depois disso tudo nunca mais parei de usar fralda e não pretendo larga-las nunca, pois é muito bom usar fralda. Só quem usa sabe o quanto é bom mesmo !!!

------------------------------------------------------------------------------------

Nome = ???? NickName = ABDL
Idade = 35
Cidade = Porto Alegre
Estado = RS
Pais = Brasil
E-mail = diapermania@yahoo.com.br

Eu tinha 8 ou 9 anos e estava internado no Hospital Ernesto Dorneles em Porto Alegre. Como não era permitido acompanhante no quarto, eu tive de ficar sozinho. À noite, uma enfermeira veio ver se estava tudo bem e me perguntou se eu podia levantar da cama ou ficar de repouso absoluto. Caso eu não pudesse levantar, ela disse que me traria fraldas para durante a noite. Fiquei por um instante sem saber o que responder mas senti um certo interesse em viver aquela cena... . Claro que acabei dizendo para ela não se preocupar comigo, eu ficaria bem. Desde aquele dia minha vida mudou. Comecei a imaginar como seria colocar e estar de fralda e calça plástica. Não conseguia mais esquecer aquela possibilidade. Um dia fui à casa de um amigo e fiquei surpreso ao ver que na hora de dormirmos, a mãe dele levou suas fraldas para que colocasse pois ele tinha incontinência urinária. Eu daria tudo para estar no lugar dele, mas não estava. Isso me fez decidir tornar aquela fantasia uma realidade. Após alguns anos fui atrás disso e descobri que em farmácias, existiam calças plásticas da "enxuta" para adultos (brancas, forradas e com botões). Foi para mim a melhor coisa do mundo porém, eu precisava de uma fralda, ou melhor, uma grande fralda. Comprei um pacote com quatro fraldas brancas e pedi para minha mãe costurar uma na outra até formar um grande quadrado, alegando que iria cobrir minha bicicleta nova. Daí em diante, comecei a viver essa sensação de bem-estar e paz interior. Para minha felicidade maior, depois de mais alguns anos, vieram as fraldas descartáveis para adultos. Eu fui até uma loja chamada Wiessbauer em Porto Alegre e fiquei fascinado ao ver a variedade de marcas e tamanhos. Comprei quatro avulsas, dizendo que iria experimentar na "paciente acamada" e, se não dessem alergia, voltaria para comprar um pacote. Isso completou a minha carência. Eu estava servido do que precisava, só faltavam as oportunidades para vivenciar essa delícia. Tive uma namorada para a qual eu contei sobre isso. Uma noite ela chegou em casa e na hora de dormirmos, disse que tinha um presente para mim. Abriu um pacote lentamente e me mostrou uma calça plástica branca com três botões de cada lado e com aquele cheirinho característico. Foi tirando minha roupa e quando eu estava totalmente nu, pôs uma fralda em baixo do meu corpo e colocou a calça plástica em mim, como se estivesse trocando um bebê. Aquilo foi mais do que estar no paraíso pois além de participar comigo dessa fantasia, deu-me uma das melhores noites de sexo que já tive. Ficamos juntos por uns seis meses e ela levou esse assunto numa boa. Nos trocávamos mutuamente e depois nos despíamos... Após terminar com ela, casei-me e não tive a mesma sorte. Um belo dia senti que precisava contar para minha esposa. Ela disse que se aquilo me fazia bem, tudo bem. Não apoiou nem cortou meu barato mas quando brigávamos, ela usava isso contra mim. Eu não ligava. Quando ia para cama e me dava vontade, abria a gaveta, pegava minha fralda e minha calça plástica e as colocava. Parecia que todos os problemas desapareciam. Separei-me dela e hoje, casado com outra pessoa, continuo passando por esse pequeno empecilho. Claro que contei para ela e, ela não disse nada. Só pediu que eu nunca fizesse isso na sua frente. Hoje, com 35 anos, eu só consigo "viver esses momentos" em época de férias, quando minha mulher está na praia. Eu vou ao supermercado, compro um pacote de fraldas descartáveis e vou para casa. É um delírio total, sozinho em casa, desfilando de fralda e calça plástica. Na hora de dormir, nem se fala, rolando na cama com aquela sensação... . Quando acabam as férias, termina minha folga e eu mantenho minha coleção de calças plásticas de várias cores e modelos em um local muito seguro, claro que bem fechado e chaveado, até o próximo verão. Só tenho um sonho: um dia, uma mulher, colocar nela fraldas e calça plástica e depois, tirar lentamente e fazer com ela um amor bem gostoso...

------------------------------------------------------------------------------------

Nome: Patricio
Idade: 18
Cidade: Nova Olinda
Estado: São Paulo
País: Brasil
Email: meigoo@hotmail.com

Meu nome é Patricio. Tenho 18 anos. Sou moreno claro, sou meio alto, magro, de olhos verdes, e cabelo um pouco comprido. Eu tenho sete irmãs, e sou o casula, entre elas. Moro apenas com elas, meus pais faleceram em um acidente de carro. Minha historia é curta e bem humilhante. Eu comecei a gostar de usar fraldas e acessórios de criança quando eu tinha 4 anos e minhas sete irmãs gostavam de brincar comigo. E minhas irmãs eram muito apegadas a mim e eu nunca deixei de usar fraldas desde a minha primeira idade e elas me mimaram até a minha idade adulta. Como hoje sou tratado feito uma neném, entre elas. Eu nunca deixei de usar fraldas, minhas irmãs brincavam muito comigo, me faziam brincar de casinha com elas, e eu era uma de suas bonecas e elas me colocavam fraldas e brincavam comigo como eu fosse um brinquedo e me faziam mamar em suas tetas como se eu fosse um bebe com fome ainda. Nisso eu tinha 4 anos. Quando completei 5 anos, eu ainda usava fraldas e minhas irmãs ainda me faziam de seu bebe e me leva para passear com ela para todos os lugares em meu carrinho de bebe e várias pessoas viam eu no carrinho e riam de mim, mas sempre minhas irmãs me protegiam daquelas crapulosas pessoas. E assim minha vida foi sendo até os 8 anos, e ainda usava fraldas, e minhas irmãs foram se casando uma com seu marido, nisso ficou apenas eu com uma de minhas irmãs. E ela ainda me fazia usar fraldas, mesmo eu sendo uma criança mimada e bem grandinha ela me fazia usar fraldas e nos mudamos para uma outra casa e ela passou a me tratar como um filho para ela, ela ainda me fazia mamar em suas tetas mesmo não tendo leite para me dar me fazia mamar, como um bebe. E ela se irritava e chorava por não ter leite para me dar, ela com 20 anos, e eu com 8 anos. E quando completei 16 anos, ela tirou as fraldas de mim e me colocou uma cueca pela primeira vez usei uma cueca, mas ainda fazia xixi na cueca e ela me deu um primeiro tapa em meu rosto e ela me disse que eu iria ter que aprender a me virar sozinho porque ela estava noiva de um cara e disse que ia me deixar por seu noivo não me querer que eu viva com eles. Eu chorei muito, pois me apeguei muito a minha irmã que eu a tratava como uma mãe que eu nunca tive. Logo nisso, os anos se passaram e eu passei a ser um adulto de 18 anos que sou agora. E moro sozinho em apartamento em Nova Olinda, PI, uma cidadezinha calma, sem minhas irmãs. Mas vivo triste porque não tenho ninguém para cuidar de mim e vivo triste pois sou um neném meigo. Fiquei sabendo que eu era infantilista a uma semana atrás, quando vi este site no dia "8 de fevereiro de 2000". E agora eu mesmo compro algumas fraldas que caibam em mim e não sei de tamanho maior para vender para mim. Espero poder receber algum contato, depois desta história, ter alguma pessoa para conversar. Obrigado. "Sabe ainda não estou conseguindo viver sem minhas irmãs e te-las para trocar minhas fraldas e me dar carinho."

------------------------------------------------------------------------------------

Agrupei aqui as histórias pessoais que me foram enviadas por infantilistas que acessam a Home Page, tentando assim interagir os mesmos com seus coleguinhas e procurando tentar tirar do anônimato outros infantilistas que apenas acessam a página e não se comunicam com os outros. Espero poder receber mais histórias para que possamos estar sempre com essa área atualizada. Breve disponibilizarei uma área da Home Page destinada ao envio de histórias fictícias.


Envie Aqui sua História

 
Qualquer dúvida ou sugestão
   bedwetter@zipmail.com.br